Cátia @ 14:51

Dom, 09/05/04

frase3.JPG

Sentada no chão, com a lua a iluminar-me posso ver pequenos vultos que me acompanham em vez de me assombrarem. Saboreio o doce paladar do vento e sinto o cheiro de todo o ambiente em que envolve. Na calma da noite procuro um poeta desconhecido, alguém que nunca vi, alguém que nunca voltarei a ver. Passo a passo o mar aproxima-se de mim, num movimento banal e ao mesmo tempo tão bonito. O som das ondas abafa todos os ruídos da grande cidade e perco-me numa imensidão perdida, perco-me num mundo de sonhos onde os esforços são recompensados e não há lugar para a dor. Pelo menos não da maneira como a sentimos hoje, aqui.
Lá em cima, as pequenas estrelas parecem piscar, autênticas bolas de fogo que emanam um poder sem igual. Perco-me num labirinto de surpresas e aos poucos vejo revelar-se um vulto... é o meu poeta, é o meu momento, é a minha vida.

******
Cátia



Maio 2004
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
14

17

23
26
28

31


Arquivo
2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


2006:

 J F M A M J J A S O N D


2005:

 J F M A M J J A S O N D


2004:

 J F M A M J J A S O N D


Pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO