Cátia @ 01:04

Sex, 17/06/05

A

Escrevo sobre tudo e sobre o nada. Sobre o tudo que é a vida que nos preenche, sobre o nada da morte que nos alcança. Sobre o tudo do mar que vai e volta em passos ritmados, sobre o nada dos sonhos levados nas ondas. Sobre o tudo que o sol aquece, sobre o nada que se perde com a noite. Sobre o tudo que o vento leva para longe fazendo-nos esquecer dos momentos mais amargos, sobre o nada perdido nas brisas da manhã.

Escrevo sobre a vida de um ser perdido no mundo, um rosto anónimo na multidão. Escrevo sobre o vizinho do lado ou sobre o amigo que preenche o coração. Escrevo sobre a irmã afastada ou o pai presente, escrevo sobre a vida que passa, o mundo de toda a gente.

Escrevo sobre a amizade, o amor, a dor, a saudade. Escrevo sobre a ilusão, o sonho, a vida, a realidade.  Escrevo porque sonho, porque vivo, porque amo, porque choro, porque rio. Escrevo porque te tenho dentro do coração. Escrevo porque te procuro em cada recanto escondido do meu sonho.

Escrevo porque a minha alma se solta, porque as palavras rolam escritas em papéis perdidos levados no sabor da vida. Escrevo porque os sonhos querem libertar-se e fazer parte da realidade. Escrevo porque o silêncio das palavras guarda secretamente as letras que pronuncio. Escrevo porque sou.

Escrevo. Simplesmente escrevo.

******
Cátia




Cátia @ 02:41

Qui, 16/06/05

A




Cátia @ 01:48

Qui, 16/06/05

Cais2.jpg

Quinta Feira, 9 de Junho de 2005, estação de Metro do Marquês de Pombal, linha amarela. Como é costume no metro Lisboeta, especialmente nas estações mais concorridas  pelos passageiros, os vendedores credenciados da revista CAIS - revista de ajuda aos Sem-Abrigo calcorreiam estações e metro à procura de alguém que lhes dê algo em troca daquelas revistas. Ora, creio que todos conhecem o objectivo e a forma como este projecto é levado a cabo, pelo que não me vou prolongar nesse sentido.

A razão de dar lugar no meu blog a este projecto, e especialmente a este dia, foi por ter visto a coisa mais desprezível desde há muito tempo. Estava um homem, sem abrigo, a tentar vender a revista às poucas pessoas que se encontravam na estação. Nada de ser chato,  não era daqueles que ficam a chatear durante não sei quanto tempo até comprarmos só para ele nos largar. Ele simplesmente anunciava a revista e perguntava se estávamos interessados. Nada que um simples "não", não resolva. Contudo, após passar por mim, uns metros mais à frente, estava uma mulher, com uns 40 e muitos anos. Magra, de óculos, cabelo castanho creio, curto e liso. Vestida no seu belo fato de casaco e saia brancos e provavelmente com uns sapatos quaisquer da mesma cor. Vão-se já aperceber porque é que deixei de notar na roupa desta mulher. Ora o sem-abrigo, que era um sr gordo, de bigode se não estou em erro, cabelo e bigode meio grisalhos mas LIMPO, aproximou-se desta mulher como fez com umas dezenas de pessoas para trás... Esta mulher, não se limitou a dizer simplesmente não, teve de se afastar do homem, com um ar de nojo e a olhar de lado. Sinceramente, nesse momento só consegui pensar o quão injusto o ser humano é. E acreditem, o homem estava normalíssimo... só tinha uma camisola amarela com um emblema da Cais e umas revistas na mão.. e foi isso que fez com que fosse visto com outros olhos por esta mulher. E por quantos outros?

Percebo que às vezes se tenha nojo de se aproximar de certas pessoas, especialmente quando se fala de sem-abrigo que vivem nas ruas, de toxicodependentes (muitas vezes nas mesmas condições) ou de pessoas que vivem em bairros degradados. Percebo e até certo ponto aceito pois nem todos somos talhados para determinadas coisas, eu também não poderia ser médica, por isso compreendo... Agora afastar uma pessoa pura e simplesmente por andar a vender revistas que são a sua forma de sustento? Enfim.... insensibilidade, estupidez, falta de civismo, falta de educação e sobretudo falta de respeito.... Há que lembrar que, muitas vezes, estas pessoas necessitam mais de uma palavra de ajuda, de um olhar, de um sorriso, de meia dúzia de palavras do que propriamente dos 2€ da revista. Enfim...

******
Cátia




Cátia @ 00:36

Ter, 14/06/05

A
Foto: Distant by kalomus

Por vezes, os sonhos são pura e simplesmente produtos da nossa mente, encontrados num qualquer recanto.
Outras vezes, a vida é tão boa que os sonhos são reais e dão-nos asas, permitindo voar até onde nunca pensámos alcançar.

Mas, tantas vezes engana-mo-nos a nós próprios crendo que apenas o amor nos faz sonhar. Tantas vezes esquecemos a importância da amizade, da cumplicidade, da credibilidade.

Apesar de um tentantiva gloriosa de inicío este não será um texto para fazer sonhar, apenas um texto para reflectir no que é ser amigo, nos direitos e deveres... Para mim ser amigo é:

Estar presente quando todos os outros não estão.
Saber que se pode telefonar às 5 da manhã se for preciso sem que fique chateado.
É poder olhar nos olhos e saber o que vai na cabeça.
É ver um sorriso e saber porque sorri.
É não deixar que as lágrimas corram.
É aceitar o outro tal como é.
É alertar.
É compreender.
É aceitar um erro e perdoar.
É nunca esquecer com o coração mesmo que se esteja longe.
É alegrá-lo.
É confiar cegamente.
É ser verdadeiro.
É ser fiel.
É telefonar só para dizer "olá".
É importar-se com o outro.
É respeitar.
É fazer um esforço sempre que for preciso.
É poder abrir o coração sabendo que não se vai ser criticado.
É querer estar presente.


Assim, não se pode apenas esperar que uma das partes esteja e acreditar plenamente que uma amizade se mantêm quando não lhe damos alimento... Muitas vezes esquecemos o quanto se teve de passar, o tempo que se deu para uma amizade se tornar verdadeira e, num gesto estúpido deixamos que se perca no nada.



Amigo que é amigo...
Não esquece o outro nunca.
Não diz que faz para não fazer.
Não troca a amizade por amor, arranja tempo para ambos
Não arranja desculpas quando falha, admite-o.
Não trai a confiança.
Não desrespeita.
Não gera uma lágrima.



É triste ver que alguém se perde cegamente num suposto amor que de verdadeiro não tem nada. É triste ver que apenas uma pessoa não vê o quanto errado é. É triste ver que apenas uma pessoa se esqueceu do que é ser amigo...
Hoje o sonho cessou e uma lágrima acabou por escorrer... porque uma pessoa se esqueceu.



That's What Friends Are For - Dionne Warwick

And I never thought I'd feel this way
And as far as I'm concerned
I'm glad I got the chance to say That I do believe I love you
And if I should ever go away
Well then close your eyes and try
To feel the way we do today and then if you can remember

Keep smilin' keep shinin'
Knowing you can always count on me for sure
That's what friends are for
For good times and bad times
I'll be on your side forever more
That's what friends are for

Well you came and opened me
And now there's so much more I see
And so by the way I thank you
And then for the times when we're apart
Well then close your eyes and know
These words are coming from my heart
And then if you can remember

Keep smilin' keep shinin'
Knowing you can always count on me for sure
That's what friends are for
In good times and bad times
I'll be on your side forever more
Ohh That's what friends are for

******
Cátia




Cátia @ 23:38

Qui, 02/06/05

A
Foto: Snow Angel by kalomus

Ás vezes queria poder acreditar verdadeiramente em anjos e fadas para poder pedir-lhes que olhassem por ti a todos os instantes. Queria que te susurrassem ao coração o sonho que trago em mim e que apenas isso te pudesse preencher tal como me preenche.

Ás vezes gostava de poder ler o teu pensamento e, através dos teus olhos, sentir o mesmo que sentes. Mas aí, penso que te estou a tirar o direito de sentires sozinho, de poderes ter o teu cantinho.

Ás vezes queria apanhar a lua e oferecer-te-a para que a sua beleza te fizesse sentir sempre bem, e as estrelas para te manterem quente e fazerem-te brilhar ainda mais.

Queria poder levar-te a navegar nos mares e oceanos e mostrar-te que há coisas tão bonitas no mundo que nos deviam fazer esquecer todas as que nos magoam.

Queria poder levar-te ao céu e mostrar-te que, de lá de cima, todos nos protegem.

Ás vezes gostava de arrancar a dor de dentro do teu peito para que ela jamais pudesse voltar mas rapidamente me lembro que um coração que bate desenvolve sempre dores inevitáveis e difíceis de sarar.


Ás vezes gostava apenas de conseguir tirar-te do mundo, trazer-te para o meu sonho, e aqui seres feliz.


Mas todas estas coisas são impossíveis de tornar realidade por isso apenas te posso oferecer o meu coração e dentro dele, muito bem guardadinhos, o meu mundo e o amor que sinto por ti. Posso dar-te a mão e, juntos, enfrentar o mundo.




É possível falar sem um nó na garganta
É possível amar sem que venham proibir
É possível comer sem que seja a fugir
Se tens vontade de cantar não tenhas medo. Canta!

É possível andar sem olhar para o chão
É possível viver sem que seja de rastos
Os teus olhos nasceram para olhar os astros
Se te apetecer dizer não, grita comigo: Não!

É possível viver de outro modo
É possível transformares em alma a tua mão
É possível o amor. É possível o pão
É possível viver de pé.

Não te deixes murchar. Não deixes que te domem.

É possível viver sem fingir que se vive
É possível ser Homem
É possível ser livre!

Manuel Alegre,
Letra para um Hino, O Canto e as Armas.

Afinal... tudo é possível!

Amo-te paixão, com todo o meu ser e com tudo o que tenho para te dar... E acima de tudo quero o teu sorriso sincero, o teu coração que dá para o mundo inteiro, feliz enquanto a vida durar.

Beijos doces!




Cátia @ 22:17

Qui, 02/06/05

bearpencil.gif



Hoje será um post triplo pois estou a tomar coragem para escrever algo fora do comum para uma das pessoas mais importantes da minha vida e que hoje precisa de um empurrãozito...  Entretanto, à busca de inspiração e depois à procura de uma letra de música encontrei algo que até achei engraçado... E como ainda  não me ocorre nada maravilhoso para escrever, segue um pequeno joguito... Basicamente, com cada letra direi a primeira coisa que me vem à cabeças mas que signifique algo para mim.

A - Amor, porque é o que me move! Algarve, local das minhas férias de família durante vários anos seguidos... sol, praia e piscina :-D; os meus avós maternos que esvoaçam os céus há já uns anos a protegerem-me :-D; Amália Rodrigues, um ícone português.

B - Bruno, um ex-namorado que, até há bem pouco tempo atrás considerava um dos meus melhores amigos... Beijo... porque sou uma beijoqueira! hihihi! Boñeco, a razão do meu viver! Bebé, a minha cadela do coração!

C - Claúdia, a minha mana que não vejo há 2 anos e meio... as saudades batem forte! Chocolate porque sou muitooooo gulosa :-D

D - Diferente porque ninguém é igual a ninguém.

E - Estranha, às vezes acho que sou Extra-Terrestre. Eulália, a minha avó!

F - Físico, uma das coisas em que todos nos baseamos na primeira impressão e que tantas vezes nos conduz errado. Filipe, alguém que me fez aprender mto.
Florbela Espanca e Fernando Pessoa, dois poetas lusitanos maravilhosos. Francisco, o meu avô.

G - Gulosa... :P Gostoso... Grande... Guessit, um amigo desaparecido! Garfield, o gato do meu amor :P

H - Helena, a minha professora da primária.

I - Indiscritível, inconstante, incompleta, insegura = EU! :P ISCSP... a minha faculdade (ok n perguntem porque mencionei isto LOL)

J - Janelas, que me iluminam o dia e me deixam ver que lá fora há mundo!

K - Kelly Family, grupo musical em que fui viciada aqui há uns anos :P. Kart's algo que gosto muito mas que me dá cabo das costas :'(

L - Clube Lisnave, o clube que me permitiu continuar a ter alguma relação com o basketball. Luísa, a minha mãe! Lugar de Sonhos porque é o meu cantinho maravilhoso de prazer, ilusão e desafogo.

M - Maria João, a minha melhor amiga! My Immortal, uma das minhas músicas favoritas! Merlin, o meu cão mágico, Maggie a minha cadela goooorda e Metralha a minha manchinhas! Mar!

N - Nuno, o meu irmão... despaçarado, maluco, metido no seu canto, mas liiiiindo! :P Never... say never ;-) Nú... sabe-se lá porquê! :-P

O - Outubro, mês dos meus anitos. Outono porque nos relembra que o que é bonito também morre... Olhos porque reflectem a nossa alma!

P - Pedro, uma pessoa excepcional que muito me ajuda e que merece todo o amor que está a receber! PORTUGAAAAAAAAAAAAL! :P eheheheh Praia!

Q - ermmm... quarto?! ... Queen....

R - Relógio, revolta, raiva, rigidez, ruína...

S - Sol, sonhos, solidão. Sete pecados mortais :-P.

T - Titanic... pois não podia passar ao lado! Tempo porque nunca pára.

U - Ursos de peluche! Únicos.

V - Vitor, o meu pai que eu adoro! Vale  Milhaços ... :-S

W - Um dos meus nomes... ahahah não queiram saber demais!

X -Xiiiiimmm ... x-coração!?.... não me lembro de nada melhor confesso!

Y - yes?! ... ermmm ... you... pois não arranjo nada melhor!

Z - Zé... ou melhor Zés! O meu primeiro e o meu último namorado, pessoas a quem dei e dou todo o meu coração. Amor... és tudo na minha vida


E esta era a música que eu andava à procura.... ouvi-a... quis partilhá-la convosco apesar de não ser uma novidade!

Um Pouco de Céu - Mafalda Veiga

Só hoje senti
que o rumo a seguir
levava pra longe
senti que este chão
já não tinha espaço
pra tudo o que foge
não sei o motivo pra ir
só sei que não posso ficar
não sei o que vem a seguir
mas quero procurar

e hoje deixei
de tentar erguer
os planos de sempre
aqueles que são
pra outro amanhã
que há-de ser diferente
não quero levar o que dei
talvez nem sequer o que é meu
é que hoje parece bastar
um pouco de céu
um pouco de céu

só hoje esperei
já sem desespero
que a noite caísse
nenhuma palavra
foi hoje diferente
do que já se disse
e há qualquer coisa a nascer
bem dentro no fundo de mim
e há uma força a vencer
qualquer outro fim

não quero levar o que dei
talvez nem sequer o que é meu
é que hoje parece bastar
um pouco de céu
um pouco de céu

******
Cátia




Cátia @ 14:33

Qui, 02/06/05

Deslizas os dedos pelas teclas enquanto suaves notas te acompanham no teu sonho longíquo. Trocas ideias com a lua no toque das teclas e as cordas contam ao céu os teus desejos mais profundos.

Com postura de gente grande mostras ao mundo que o sonho pode existir dentro de cada um de nós e que o mundo ainda se pinta de cores vivas e alegres e não do habitual cinzento a que estamos habituados. Tens tanto para ensinar nesses débeis dedinhos de unhas muito curtas e brancas.

Contas ao mar e ao sol as aventuras que tens, susurras ao vento as tuas tristezas para que ele as leve para bem longe, dás a mão a uma estrela e lentamente sobes até à lua, a tua fiel companheira, enquanto saem notas com o deslizar dos teus dedos compridos.

Pequeno pianista de olhos brilhantes, continua a fazer o mundo girar, continua a permitir-nos sonhar!

******
Cátia



Junho 2005
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
15
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


Arquivo
2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


2006:

 J F M A M J J A S O N D


2005:

 J F M A M J J A S O N D


2004:

 J F M A M J J A S O N D


Pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO