Cátia @ 02:05

Sab, 04/09/04


Como demorava imenso a fazer o download da imagem optei por deixar apenas o link. Foi feita por mim e é uma espécie de tributo a este acontecimento. Por favor percam um pouquinho de tempo a vê-la. Obrigado. http://lugardesonhos.no.sapo.pt/Blog/Russia.gif</p>

Após 3 dias de sofrimento, após assisterem à morte à queima-roupa de alguns dos seus amigos, irmãos e pais, depois de estarem privados das mais básicas condições de vida, depois de estarem confinados a 3 dias num ginásio com temperaturas elevadas, depois de tornarem um dia de festa num autêntico pesadelo, mais de 600 pessoas encontraram a liberdade apesar de terem algus ferimentos. Mais de duzentas acabaram por ter como destino a morte.
Bebés, crianças pequenas, adolescentes, pais, professores e pessoal da escola foram tomados como reféns na passada quarta-feira numa escola da cidade de Besnan na Odéssia do Norte, Rússia. O que se pensava serem pouco mais de 100 reféns rapidamente se tornou num grupo com mais de mil pessoas, totalmente controlado por um grupo de cerca de 40 a 50 sequestradores. Presumivelmente Tchechenos que lutavam pela independência do seu país, se não houvesse um mas... mas 10 dos sequestradores eram de descendência Árabe.
Após terem libertado um grupo de 26 pessoas no segundo dia, os rebeldes negaram água e comida aos reféns alegando que as autoridades russas não estavam dispostas a negociar. Com o nascer do sol desta sexta-feira o terror começou a tomar formas ainda piores. Crianças e adultos eram alvo das balas dos rebeldes enquanto tentavam fugir da escola, bombas rebentavam sem se saber porquê ou como. O tecto ruiu parcialmente e provocou um incêndio, os rebeldes começaram a fugir, a população entrou na escola... alguns reféns conseguiram fugir... alguns.. no meio de centenas...
Com mais de duzentas vítimas mortais até à data, e com mais de 600 nos hospitais algumas delas em grave estado, este grupo conseguiu trazer o terror até todo o mundo.. mais uma vez... lembrar que nada, ninguém, em lado nenhum está seguro.

Sou talvez uma pessoa que por não se interessar grandemente pelos factores políticos e pelas teorias que os partidos e governantes apoiam acaba por comentar estes acontecimentos com o coração sobretudo e com a cabeça só em alguns sentidos.
Independentemente da Rússia estar ou não a ser extremamente injusta com os Tchechenos ao não lhes conceder a independência, independentemente da razão que os Tchechenos possam ou não ter na sua luta, eu continuo sem conseguir compreender como é que actos destes podem dar lugar a conversações, a que alguém oiça, compreenda e apoie a causa tchechena. Continuo sem conseguir compreender como é que a violência pode ter resultados. Aqui, na Rússia, no Iraque, em Israel, em Angola ou em qualquer canto minúsculo do mundo.. Como é que alguém acredita que através destes actos consegue ter razão? Estamos a falar, neste caso, de uma escola, de um grupo de reféns na sua grande maioria crianças que provavelmente ainda nem compreendem o que se passa na tchechenia, de uma escola com uma creche (a grande ameaça dos tchechenos são crianças de 2 ou 3 anos???). Isto para não falar que mesmo os adultos que ali foram feitos reféns devem ter tido tanto voto na matéria em relação à situação com a Tchechenia como eu... nenhuma.
Estamos perante umas centenas de crianças que ficarão com traumas psicológicos (se é que não terão físicos), com um receio enorme de ir à escola, com o sentimento de insegurança sempre presente... Quem é que agora consegue convencer uma criança de 5 ou 6 anos que a escola é algo bom depois de, no primeiro dia, sofrer um choque destes?

Infelizmente este não é caso único e temo vir a verificar daqui a uns tempos que irá acontecer cada vez mais, cada vez com maior frequência, cada vez pior e mais mortal... Pequenas guerrilhas dão-se um pouco por todo o mundo, pequenos ou maiores actos de terrorismo consomem vidas numa base quase diária e assim se perde a razão, o raciocínio e a clareza sobre os actos.

Não me entendam mal, não é a causa russa ou tchechena que me levam a escrever estas palavras mas sim a forma como as causas tornam pessoas tão cegas e burras ao ponto de fazerem sofrer e sacrificar o seu semelhante e de espalharem uma onda de terror, por vingança, por ódio... mesmo que seja por desespero... Para mim, nenhuma causa é razão suficiente para tirar uma vida, nem mesmo a perda de outra.

Posso estar a ser inconsciente, posso não saber o que é perder alguém querido numa situação de guerra, terrorismo ou qualquer situação que pudesse fazer nascer em mim uma sede de vingança. Felizmente vivo num país que, de tão pequenito e insignificante que é, acaba por não ser alvo da atenção de nenhum grupo deste género (embora confesse que o dia de o sermos já esteve mais longe), mas não acredito que a morte de alguém inocente por vingança à morte de outros inocentes seja a solução para nada. A partir do momento que se usa a violência perde-se a razão total e toda a causa deixa de ter efeito. Não acredito e não aceito esta forma como uma forma de luta pelos seus ideiais.

Escapa-me.. escapa-me as ideias e as teorias destas pessoas sejam elas de que nacionalidade, cor ou religião forem. Escapa-me a forma como vêem que os seus actos podem e terão resultados e mais que tudo escapa-me a forma como acham que estes actos têm razão de ser, são condignos ... e têm coragem de os fazer.

Desculpem-me mas este momento teve lugar para esta reflexão, uma descida do meu habitual mundo de sonhos para a realidade triste de alguém que está ali tão longe mas que ainda assim faz sofrer cá dentro.

******
Cátia



Setembro 2004
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10

12
13
14
15
17
18

19
20
22
23
24
25

26
28
29
30


Arquivo
2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


2006:

 J F M A M J J A S O N D


2005:

 J F M A M J J A S O N D


2004:

 J F M A M J J A S O N D


Pesquisar
 
blogs SAPO